Trabalhei muito para não ter rotina.
Acho que pensava que isso significava liberdade.
  Em minha caminhada profissional e de estudo deparei-me com algumas pessoas a quem me refiro como mestres. Pessoas que conseguem não somente saber, mas fazer e ensinar.
  Um deles, me recordo como se fosse hoje, me disse: “Tiago, Disciplina é liberdade.” Confesso que penei para entender o real significado disso.

É assim, cada um tem um tempo, uma maneira, um processo particular para entender as coisas. Principalmente com base em como você interpreta as palavras.

Explico: Disciplina para mim sempre foi representada pela imagem do treinamento militar, dos espartanos, daquela rotina ferrenha que acompanha os esportistas, como aqueles que vimos nos jogos Olímpicos em que cada um mostra o resultado de seu talento, garra e claro, disciplina.  Consegui a liberdade que imaginei que eu queria: não ter rotina. Um dia estou atendendo clientes por telefone e skype.


Num outro estou em reunião presencial. Há dias em que estou escrevendo os projetos, desenhando as soluções e tem aqueles dias também que pedem a nossa atenção para atividades como ir ao banco (mesmo que on-line), contador e todo tipo de tarefa importante que sustenta uma pequena operação.
Até mesmo poder acordar em horários diferentes. Estes poucos aspectos dizem respeito a um pedacinho do meu dia, assim como você, que também tem uma infinidade de atividades, tantas que precisa escolher a que dar atenção.
A sensação que passei a ter foi de confusão e de pouco progresso, pois em uma situação como essa, em que não se tem rotina, parece que a consistência também deixa de existir.
Parece que algo começa a faltar e então a gente começa a faltar, inclusive em casa, com a familia.
Tomar ciência disso é bom, mas machuca.
Acho que consegui experimentar um pouco dos dois lados.
Hoje sem rotina! Ontem um neurótico por controle da rotina (ao ponto de controlar o que estava sendo feito hora a hora). Confesso que isso me ajudou a ser muito produtivo, mas criou um processo de micro gerenciamento estressante.
Agora, o equilíbrio. Por ter visitado os dois extremos penso que está um pouco mais claro onde é o meio.
Sim, Disciplina é liberdade! E no que entendo neste momento (e tem muito mais para entender, imagino) é liberdade mesmo, pois nos dá um senso de direção e crescimento. A imagem que me vem é a de um pássaro, que voa livre, mas certeiro, sabendo usar as correntes de ar em seu favor. A ausência da liberdade pode também ser representada pelo mesmo pássaro que voa, que parece livre no ar, mas que se pega atado às correntes como se emaranhado na tormenta de um furacão, sem a habilidade de voar para onde se deve e se deseja.